Reconhecimentos

Solum recebe Prêmio de Menção Honrosa

Solum recebe Prêmio de Menção Honrosa

Em cerimônia realizada no dia 05 de junho, em São Paulo, a Solum recebeu da FIESP o Prêmio de Menção Honrosa de Mérito Ambiental, em sua 24ª edição.

O Prêmio é uma das principais iniciativas de reconhecimento das ações do setor industrial na área de sustentabilidade. Na edição 2018 do evento promovido pelo Departamento de Desenvolvimento Sustentável da FIESP, 65 cases concorreram.
Com mais de 400 projetos inscritos nos últimos 10 anos, sua história comprova o crescente engajamento das empresas nas questões ambientais.
Graças à Vorax (principal produto da empresa), a Solum já foi a campeã, em 2016, do IV Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação na categoria “Cidades do Futuro”.

Solum ganha prêmio pela inovadora máquina VORAX

Solum ganha prêmio pela inovadora máquina VORAX

Solum Ambiental, empresa do grupo Vitae Brasil, é a grande vencedora da categoria Cidades do Futuro no IV Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação ao desenvolver uma tecnologia inovadora, eficiente, economicamente viável e inofensiva ao meio ambiente.

A Solum criou a Unidade de Tratamento de Resíduos (UTR) – apelidada de Vorax DuoThermo – que é capaz de transformar qualquer material sólido em partículas vítreas, óleo e gases por meio do uso da energia gerada pelos próprios resíduos. O desenvolvimento da UTR Vorax levou cerca de 12 anos, entre pesquisas e testes de laboratório. O projeto conseguiu a primeira patente verde brasileira em tempo recorde: nove meses. Normalmente, o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) leva de 5 a 10 anos para conceder uma patente.

A máquina Vorax adquiriu a primeira Patente Verde do Brasil

A máquina Vorax adquiriu a primeira Patente Verde do Brasil

Em tempo recorde de nove meses, a Vorax DuoTherm conseguiu o importante selo de "Patente Verde" do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

O programa Patentes Verdes tem como objetivo contribuir para amenizar as mudanças climáticas globais e visa a acelerar o exame dos pedidos de patentes relacionados a tecnologias voltadas para o meio ambiente (Resolução nº 175/2016).
Com esta iniciativa, o INPI também possibilita a identificação de novas tecnologias que possam ser rapidamente usadas pela sociedade, estimulando o seu licenciamento e incentivando a inovação no país.
O programa piloto Patentes Verdes teve seu início em 17 de abril de 2012 e sua terceira fase encerrou em 16 de abril de 2016. A partir de 06 de dezembro de 2016, o INPI passou a oferecer o exame prioritário de pedidos relacionados a tecnologias verdes como serviço.